Abrir menu - clique na seta

Mensagem

A ponte...

Ponte é um lugar de acesso, não escolhe quem vai passar por ela, algumas pontes são somente para pedestres, outras pontes passam só veículos leves, outras pontes foram feitas para suportar veículos pesados. 

Nota-se que todas as pontes foram construídas em lugares que há dificuldades de acesso de um lado para o outro. 

Quanto ao tamanho, existem pontes pequenas e outras grandes, não importa o tamanho, elas estão ali para darem o acesso necessário, para isso foram criadas.

As Pontes trazem informações importantes de altura, peso suportado, ou seja sua capacidade máxima. 

De fato, pontes são obras de arte e engenharia que conectam dois lados separados por um obstáculo, seja ele um vale ou um rio. 

O objetivo da construção da ponte é vencer o obstáculo que impedia o acesso dos dois lados, as pontes interligam lugares e pessoas.

Olhando para a Palavra de Deus, nos cabe algumas perguntas: quem somos nós no Reino? Obstáculos ou pontes? Obstáculos dificultam, separam e  isolam. Infelizmente alguns comportamentos podem ser chamados de obstáculos. 

Quando escolhemos pessoas para nos relacionar justificados pela aparência, condição financeira,  por preconceito ou pelo famoso “não gostei”. 

 Isso é um obstáculo e geralmente quem se coloca como obstáculo, acaba não se dando conta do mal que está fazendo ao próximo, causando-lhe sentimento de rejeição, desprezo e reprovação.

As pessoas que colocam como “obstáculo” acabam se justificando muitas vezes que o seu suposto “oponente” tem que ser bem resolvido e procurar a sua turma, Mas cabe a pergunta se quem age como obstáculo é de fato bem resolvido?

Agora, falar de ponte é falar de acesso. se eu não dou acesso aos outros, posso estar sendo um obstáculo em algumas áreas.

 Lógico que não estamos falando aqui de áreas em nossas vidas que nos são intimas, particulares, que devem ser guardadas no Senhor. 

Devemos ter cuidado sim e discernimento em tudo que fazemos, orar antes de fazer qualquer coisa nesse sentido. 

 Estamos falando de relacionamentos entre irmãos, entre pessoas em Cristo, que professam a mesma fé, onde certas barreiras não deveriam acontecer. E por que não falar entre o convívio da própria família. 

Tomando a figura da ponte, o que O Senhor Jesus foi para nós, obstáculo ou ponte? 

Sejamos pontes que imitam Jesus. Pontes ligam! Pontes facilitam! Pontes dão acesso. 

Existem pessoas na Bíblia que serviram de pontes para as outras pessoas. Vejamos o exemplo de Jonatas para Davi, a Sunamita para o profeta Elizeu, Moisés para Josué, profeta Elias para Elizeu (ainda não era profeta),  Barnabé para Saulo. 

Veja o exemplo dos quatro amigos do paralítico quando o desceram pelo telhado até Jesus. Temos esses exemplos de pessoas que deram acesso, se colocaram como facilitadores e não complicadores.

Obstáculos precisam ser vencidos para que acessos sejam liberados, ter empatia, misericórdia ao próximo, nos colocarmos como pontes e não como obstáculos, quando determinada situação nos exige segundo a Bíblia a ter a atitude correta. 

Lembrando dos primeiros dias da Igreja logo o Pentecostes, quando comiam e bebiam juntos, tinham tudo em comum, repartindo uns com os outros e tendo singeleza de coração. é preciso examinar o coração, rever algumas atitudes, liberar acesso aqueles que estão ao nosso alcance quando podemos ajudar com uma mão amiga, uma palavra de consolo.  Já percebeu que muitas das vezes as pessoas se sentem um peixe fora d’água, isolados em meio a uma multidão? 

Vivemos dias de igrejas lotadas, porém de pessoas que não se conhecem a não ser naquele “seu grupo ou sua tribo”, como é preciso fazer pontes.

 Que o Senhor nos ajude, lembrando que pontes são bi direcionais os dois lados são abençoados.

Partiu ela...

" A história impressionante da multiplicação de azeite na casa de uma mulher esperançosa"

figura 2 carrossel pagina mensagem

" E sucedeu que, cheias que foram as vasilhas, disse a seu filho: Traze-me ainda uma vasilha. Porém ele lhe disse: Não há mais vasilha alguma. Então o azeite parou."2 Reis 4:6

O texto em II Reis 4. 1- 7 é uma fonte inesgotável de mensagens que nos inspiram, encorajam e aumentam a nossa fé. Porém, dessa vez o Senhor me tem chamado a atenção para uma preciosidade escondida no versículo 5 que diz assim: “partiu ela…”.

A palavra do profeta é desproporcional, uma botija de azeite, um pouco de azeite para  muitos vasos? Deus está usando o profeta para ativar a fé dessa mulher, assim como a nossa fé é ativada, acelerada, justamente quando Deus nos provoca com “o pouco dizendo que vai fazer muito.” 

A viúva recebeu a palavra e partiu, foi executar o que lhe fora dito, ela não questionou ou subestimou, não ficou indagando, questionando se isso iria dar certo ou não, percebe se no texto que ela não murmurou, não pediu explicação, de fato sua fé foi ativada pela palavra que ouviu!

Ao receber a palavra e partir para executar o que lhe foi entregue, ela emprestou vasos de seus vizinhos e amigos, os levou para sua casa, fechou a porta atrás de si, não alterou nada do que lhe dito, seguiu os passos a passos que o profeta Eliseu havia lhe dito.

Disse para que seus filhos trouxessem os vasos para que ela como a dona do azeite derramasse. Quem derrama do azeite? Quem enche os vasos um a um? quem sacode a botija? Quem manda trazer mais vasos ao final de cada processo de enchimento? Sim, você entendeu, a viúva!

A viúva sabia a quantidade de que ela tinha quando começou a encher os vasos, ela saberia quando o azeite natural, residual na botija já teria acabado fazia algum tempo, mas continua a ser derramado. Maravilhoso espetáculo!

Deus sabe exatamente a quantidade de azeite que ela precisava para quitar a dívida da família. Enquanto ela precisasse Deus continuaria  mandando. E se Deus continuava mandando, também ela continuava a derramar o azeite nos vasos. O final dessa história é impressionante.

Fazendo um paralelo conosco, enquanto eu preciso, Deus continuará mandando o azeite, eu devo então continuar derramando, dá até a impressão que o azeite diminuirá, mas o fluxo é constante, sempre Deus mandará na justa medida. O azeite derramado produz vida, cura, brilho, saúde, luz, enfim providencia. Na matemática de Deus o que se derrama é lucro, o que se acumula é desperdício.

Então, derrama o azeite em todos os vasos que vierem até você, pois enquanto esse azeite é derramado, o mesmo será multiplicado.

A palavra do profeta Eliseu para aquela mulher foi para que ela fosse dinâmica, movimentasse, movimentos inspirados por sua fé, fez Deus reagir a seu favor.

Quando estive em Israel, pude ver que o azeite continua sendo um produto de enorme riqueza, oliveiras nascem no meio das pedras, meu esposo até trouxe azeite das Colinas de Golã, uma iguaria.  Na época dessa mulher, o azeite era renda certa!

Leia essa história na integra.

Não perca o foco:

Todos nós  somos pegos de surpresa na vida, tem situações que fogem ao controle. 

Não se desespere, confiem em Deus para trazer solução e procure agir dentro de seu campo de ação, não fique procrastinando, deixando para outro dia.

Aquela mulher teve coragem, tenha coragem de enfrentar a situação.

Ela tinha amigos e vizinhos que não lhe negaram vasos. Derrube barreiras psicológicas e sociais, faça amigos.

Aquela mulher seguiu a risca o que foi tratado, aprenda a exercitar a obediência, a hierarquia, construa esse principio.

Ela não contou para ninguém, aprenda a guardar segredo, não divulgue informação vital.

Os filhos dela não tocaram na botija de azeite. Aprenda a gerenciar o processo que você se encontra, terceirize apenas aquilo que deve ser compartilhado, nem todos compreenderão o seu milagre.

Medite sobre essa passagem bíblica e aplica depois na oração, isso é um exercício espiritual, te trará enriquecimento no conhecimento, melhorará sua postura diante das adversidades da vida.

© 2023 Palavra com Dulce. Desenvolvido por CAA digital. Todos os direitos reservados.

Canal Pedacinho de Pão é só clicar no ícone do Youtube.